Golpes por celular: como acontecem e como evitá-los

21 de março de 2022

Os golpes por celular têm ficado cada vez mais comuns e sofisticados; saiba como eles são executados e como se proteger

 

Antes de mais nada, sabemos: evitar o uso do celular já não é uma opção. Sem WhatsApp, ficamos muito limitados no contato com amigos e familiares; sem aplicativo do banco, fica muito mais complicado fazer aquela transferência…

 

Mas é possível aproveitar todas as vantagens da telefonia móvel sem sofrer um golpe pelo celular?

 

Entender como essas fraudes funcionam é o primeiro passo para evitá-las.

 

Como funcionam os golpes por celular?

 

De acordo com uma pesquisa da Mobile Time/Opinion Box, três em cada quatro brasileiros já sofreram pelo menos uma tentativa de golpe por telefone.

 

Assim, há uma variedade de fraudes e elas estão cada vez mais sofisticadas, mas a maioria das táticas tem como objetivo extorquir dinheiro ou coletar dados pessoais para, posteriormente, acessar contas bancárias ou outros serviços.

 

Listamos aqui os três golpes mais comuns para que você saiba o que fazer em caso de golpe no celular:

 

  1. Ligações falsas

 

Golpe do sequestro

 

Muito provavelmente aconteceu com você ou com algum conhecido: o telefone toca e a ligação vem de um número privado ou desconhecido. Ao atender, a potencial vítima escuta pedidos de socorro, sem muitas informações de quem está do outro lado da linha.

 

Conforme a interação, os fraudadores vão construindo uma narrativa de sequestro e consequente pedido de resgate.

 

O que fazer em caso de golpe do sequestro?

 

Se você receber uma ligação deste tipo, mantenha a calma e não tente adivinhar quem está pedindo ajuda. Muitas pessoas, levadas pelo desespero, acabam entregando dicas que vão ser usadas na tentativa de extorsão.

 

Se desconfiar que alguém da sua família ou círculo de convívio pode estar em apuros, uma das alternativas é ganhar tempo, fazendo perguntas para o interlocutor enquanto tenta contato paralelamente com a suposta pessoa sequestrada.

 

Outra possibilidade é pedir para o suposto sequestrador ligar novamente em alguns minutos. Nesse tempo, faça os contatos necessários com seus familiares, confirmando a segurança deles.

 

Caso não consiga se assegurar do paradeiro do seu familiar, mantenha o interlocutor na linha e se dirija à delegacia mais próxima para pedir orientação.

 

Golpe da falsa central de atendimento

 

Alguém que se apresenta como representante de uma instituição liga e pede a confirmação de alguns dos seus dados. Frequentemente, os fraudadores se identificam como funcionários de um banco e podem ter alguns dos dados da possível vítima, como o nome completo, data de nascimento e alguns números do CPF.

 

Esse golpe, como muitos outros, usa a tática de criar confiança para que a vítima forneça mais informações como senhas e códigos de confirmação. Com os dados em mãos, os golpistas podem acessar e movimentar contas bancárias, por exemplo.

 

Como evitar o golpe do falso funcionário?

 

Primeiramente, é importante frisar que senhas e códigos de confirmação são dados pessoais e jamais devem ser compartilhados.

 

Caso receba uma ligação solicitando dados como esses, desligue e procure a suposta empresa pelo número oficial de atendimento ou pessoalmente.

 

Além disso, desconfie de qualquer oferta que seja boa demais pra ser verdade. Faz sentido uma instituição ligar para oferecer um crédito financeiro desproporcional à sua renda? Ou um investimento que vai crescer milagrosamente se você o contratar agora mesmo?

 

  1. SMS falso (phishing)

 

Muito frequente no e-mail, o phishing consiste em se passar por um remetente confiável e induzir a vítima a executar uma ação, como clicar em um link falso ou baixar um arquivo malicioso disfarçado de comunicação real.

 

Na prática, os fraudadores disparam milhares de e-mails ou SMS por dia, como se fossem de um banco, por exemplo. Entre as mensagens mais comuns estão o pedido de atualização dos dados para que a conta bancária não seja desativada.

 

Parte dos destinatários não vai desconfiar da procedência da mensagem recebida e vai clicar nela, podendo ser infectada já ao abri-la. Caso haja um link, a estratégia é fazer com que a vítima preencha os dados em um site falsificado, acreditando que está fornecendo os dados a uma instituição de confiança.

 

Como evitar o golpe do SMS falso?

 

Não abra mensagens de contatos desconhecidos e sempre desconfie de links não solicitados.

 

Caso acredite que seja de fato uma comunicação do banco ou da operadora de telefone, por exemplo, verifique o número do qual a mensagem foi enviada e consulte a veracidade nos canais oficiais de atendimento da empresa.

 

  1. Golpe do “chip” de celular (Troca de cartão SIM)

 

O golpista, já de posse de alguns dados pessoais da vítima, entra em contato com a operadora de telefonia móvel e se passa pelo titular da linha, solicitando o redirecionamento do número para um cartão SIM (conhecido como chip) que ele controla.

 

Assim, ficam expostos os acessos que dependem de autenticação pelo celular e os golpistas conseguem aplicar uma série de outras fraudes, como realizar compras em e-commerce com o cartão de crédito salvo na plataforma, ter acesso ao WhatsApp da vítima, entre muitos outros.

 

Para se prevenir contra esse golpe, o indicado é redirecionar a autenticação de dois fatores para apps como o Google Authenticator ou Authy, evitando o uso de SMS.